top of page

EFFORT Trial: um resumo!





Por: Melina Gouveia Castro

Médica Nutróloga


Embora as diretrizes internacionais de nutrição recomendem uma oferta proteica alta na UTI, as evidências existentes até o momento apresentam baixa qualidade para suportar tal recomendação. Um estudo foi recém-publicado com objetivo de testar a hipótese de que uma dose maior de proteína fornecida a pacientes graves melhoraria seus resultados clínicos.

Trata-se de um estudo randomizado, simples-cego, realizado em 85 unidades de terapia intensiva (UTIs) em 16 países. Foram incluídos pacientes adultos (≥18 anos) com alto risco nutricional submetidos à ventilação mecânica. O objetivo do estudo foi comparar a prescrição de alta dose de proteína (≥2,2 g/kg por dia) com a dose usual de proteína (≤1,2 g/kg por dia) iniciada dentro de 96 h de internação na UTI e continuado por até 28 dias ou óbito ou transição para alimentação oral. O desfecho primário foi tempo de alta hospitalar até 60 dias após a admissão na UTI e o desfecho secundário foi moralidade em 60 dias.

Foram incluídos 1.301 na análise (645 no grupo de proteína de alta dose e 656 no grupo de dose usual). A incidência cumulativa de alta hospitalar foi de 46,1% (IC 95 42,0%–50,1%) no grupo de alta oferta proteica em comparação com 50,2% (46,0%–54· 3%) no grupo de oferta proteica na dose usual (taxa de risco 0·91, 95% CI 0·77—1·07; p=0·27). A taxa de mortalidade em 60 dias foi de 34,6% no grupo de alta oferta de proteína em comparação com 32,1% (208 de 648) no grupo de oferta de proteína na dose usual (risco relativo 1,08, 95% CI 0 ·92–1·26). Pareceu haver um efeito de subgrupo com maior provisão de proteína sendo particularmente prejudicial em pacientes com lesão renal aguda e SOFA escore mais alto (falência orgânica) no início do estudo.

A conclusão do estudo foi que a administração de doses mais altas de proteína na UTI não melhorou o tempo de alta hospitalar e pode ter piorado o desfecho de pacientes com lesão renal aguda e altos escores de falência de órgãos.


Referência: Heyland D K, Patel J, Compher C, et al., The effect of higher protein dosing in critically ill patients with high nutritional risk (EFFORT Protein): an international, multicentre, pragmatic, registry-based randomised trial. Lancet. 2023 Feb 18;401(10376):568-576.


1.179 visualizações

Commentaires


bottom of page